bfpug_new.jpg (7052 bytes)Brazilian Function Point Users Group
 
Multiple Media
Notícias sobre a Discussão

14.09.2008 - Posição Atual

O questionário e os resultados da Pequisa de Múltiplos Meios foram disponibilizados apenas para os filiados ao IFPUG, em um link na página principal do site. É necessário possuir identificação de filiado e senha para acessar a página com os documentos mencionados.

A partir dos resultados da pesquisa, a Diretoria do IFPUG decidiu compor um novo grupo, que ficou encarregado de propor e implementar as medidas necessárias a resolução da questão. Este grupo deverá apresentar um plano de ação até 15.11.2008, com a finalidade de alcançar os objetivos com base na pesquisa realizada.

11.12.2006 - Resultado do Voto

A Diretoria do IFPUG gostaria de anunciar os resultados da recente moção que foi aberta ao voto dos filiados no mês passado. A moção propos:

Paralisar a direção atual das regras de contagem de múltiplos meios. Uma nova pesquisa deverá ser conduzida por uma parte independente, a fim de revelar amplamente as práticas comuns dos filiados ao IFPUG para múltiplos meios. A decisão final sobre as regras de contagem de múltiplos meios deverá ser baseada nos resultados desta pesquisa.

O IFPUG recebeu um total de 125 votos, com os seguintes resultados:

Sim: 71% (89 votos)

Não: 29% (36 votos)

A moção foi aprovada e a direção atual das regras de contagem de múltiplos meios foi paralisada. A Diretoria do IFPUG preparará um plano de ação para os próximos passos e irá compartilhá-lo com os filiados assim que possível.

14.11.2006 - Íntegra do Voto, em Português

Importante: a cédula para voto foi distribuída, pelo correio, aos filiados do IFPUG. Somente filiados ao IFPUG podem votar (para filiados corporativos, somente os contatos oficiais cadastrados junto ao IFPUG podem votar). Não utilize o texto abaixo para votar, utilize a cédula recebida do IFPUG, ou seu voto poderá não ter validade.

Caro Membro do IFPUG:

Na última semana, o presidente do IFPUG, Mauricio Aguiar, enviou um e-mail aos filiados informando que uma moção apresentada por um filiado seria enviada para sua avaliação e voto. Esta moção foi apresentada à Diretoria na reunião anual do IFPUG. Devido a falta de quorum apropriado (um quorum apropriado é definido como 50% dos filiados no estatuto do IFPUG) na reunião anual, a moção não foi votada naquele momento. Devido à importância da questão, a Diretoria quis garantir que todos os filiados ao IFPUG tivessem a oportunidade de manifestar sua opinião e ouvir as idéias dos demais, de modo que decisões informadas pudessem ser tomadas de uma forma tão cooperativa quanto possível.

Neste documento você encontrará a moção, a cédula para voto e dois papers escritos por adeptos de cada lado da questão. Estes papers são as opiniões dos autores e o seu conteúdo não pode ser considerado como uma corroboração da Diretoria, ou de qualquer membro individualmente. Estes papers foram desenvolvidos e distribuídos para ajudar os filiados ao IFPUG a entender ambos os lados da questão subjacente, a fim de que possam tomar uma decisão informada a respeito da moção.

Somente filiados ao IFPUG (incluindo os representantes designados nas filiações Corporate e Worldwide Corporate) poderão votar. Nós encorajamos você a tornar sua posição conhecida através do seu voto. Quanto mais pessoas participarem, melhor.

Os votos devem ser encaminhados até 4ª-feira, 29 de novembro, via FAX ou correio ao escritório do IFPUG (detalhes no voto). Votos com carimbo do correio datado de até 29 de novembro serão aceitos. Esperamos disponibilizar um processo eletrônico de voto através do website do IFPUG, e informaremos aos membros via e-mail caso esta opção seja disponibilizada.

Agradecemos antecipadamente sua consideração e participação.

Atenciosamente,

A Diretoria do IFPUG

Moção:

Paralisar a direção atual das regras de contagem de múltiplos meios (multiple media). Uma nova pesquisa deveria ser conduzida por uma empresa independente para descobrir completamente as práticas comuns dos membros quanto a múltiplos meios (multiple media). Esta pesquisa deveria solicitar também propostas de soluções aos membros do IFPUG. A decisão final sobre as regras de contagem de múltiplos meios (multiple media) deveria ser baseada nos resultados desta pesquisa.

Esta moção deveria ser aceita ?

Sim / Não

Nome:
Empresa:
Código Membro IFPUG:
Os votos devem ser enviados até 4a-feira, dia 29 de Novembro de 2006, para o escritório do IFPUG
Via fax: 00 XX 1 609-799-7032
Pelo Correio: 191 Clarksville Road Princeton Junction, NJ 08550 USA

Papers de Posicionamento

Atenção: Estes dois papers de posicionamento foram escritos para o benefício dos membros, com a intenção de fornecer subsídios para uma pessoa decidir seu voto, "sim" ou "não" nesta moção apresentada por um membro. As colocações feitas devem ser consideradas como opiniões dos autores, não como a posição formal da Diretoria do IFPUG, ou de qualquer membro individualmente. Qualquer colocação, informação, ou dados contidos nestes documentos são de responsabilidade dos autores.

O paper de posicionamento que apoia o "Sim" é de autoria de Scott Goldfarb (Q/P Management Group) e Paul Radford (Charismatek).

O paper de posicionamento que apoia o "Não" é de autoria de Adri Timp (Interpay Nederland) e Bonnie Brown (EDS) e representa a posição oficial do Comitê de Práticas de Contagem do IFPUG.

Vote SIM! (Paper 1)

Um voto SIM garante que as regras referentes a Múltiplos Meios serão baseadas em pesquisa, análise e informações dos filiados, conforme adequado. Seu SIM não modifica nenhuma regra, nem rejeita a proposta do Comitê de Práticas de Contagem (CPC). Um voto SIM apenas dá aos filiados a oportunidade de oferecer insumos de modo que o IFPUG possa tomar a decisão correta. Um voto Não, contudo, irá endossar uma mudança de regras controversa e prematura, que pode ter um impacto de longo prazo na contagem de Pontos de Função (PF) e diminuir o valor global do padrão do IFPUG. O texto seguinte descreve a criticidade da questão e por que o seu voto SIM é importante.

Histórico

O propósito-chave e papel prático da Análise de Pontos de Função (APF) é, e sempre foi, quantificar o tamanho do software como uma entrada-chave para a estimativa de software, medição da produtividade e para facilitar a melhoria de processos.

Este propósito central deve continuar a ser a base para as mudanças e esclarecimentos referentes às regras da APF. Se um esclarecimento/mudança degrada a técnica e seus propósitos relacionados, então a base daquele esclarecimento/mudança deveria ser revisada.

Impacto da Proposta do CPC sobre os Benefícios da APF

A proposta de Múltiplos Meios do CPC vai muito além de meramente eliminar relatórios similares entregues online versus impressos. A proposta pode juntar múltiplas entradas, saídas ou consultas distintas em um único processo elementar mesmo quanto existirem características distintas óbvias.

Sob a proposta, um projeto que desenvolva funcionalidade que permita a um usuário consultar o saldo bancário através de um caixa do banco, ATM, ou resposta audível interativa receberia uma ÚNICA CONSULTA EXTERNA, mesmo que os TRÊS REQUISITOS LÓGICOS fossem independentemente identificados, documentados, codificados e testados. O que contou como 12 PFs no CPM 4.2 seria agora reduzido a 4 PFs, embora o esforço dos desenvolvedores foi 3 vezes maior do que entregar uma única consulta.

A solução para a contagem deveria se basear no que é lógico e intuitivo a partir de princípios básicos de contagem e no que é MAIS ÚTIL A PARTIR DE UMA PERSPECTIVA DE MEDIÇÃO E ESTIMATIVA.

Um voto SIM irá PARAR a mudança imediata e permitir que pesquisemos as práticas e raciocínio dos filiados, a fim de estabelecer uma solução viável.

Consistência da Contagem

O objetivo declarado como número um pelo CPC para a mudança de regras proposta é a consistência da contagem. Infelizmente a mudança proposta irá levar a maior inconsistência, pelas seguintes razões. " Acrescenta exceções e complexidade às regras o Contradiz os princípios que guiam a contagem. DETs e lógica de processamento únicos não mais proverão funcionalidade única. o A introdução de DETs "Opcionais" é um conceito novo confuso e aberto a interpretações erradas " Modifica regras previamente documentadas no CPM 3.X como relativas a entradas, saídas e consultas. Por exemplo: o "Processos de entrada, os quais, se especificamente requisitados pelo usuário, duplicarão uma Entrada Externa anteriormente contada são contados separadamente (exemplo: transação ATM e caixa)" " Os Múltiplos Meios foram historicamente contados e ainda são contados pela maioria dos contadores, com base em regras que existiam e que nunca foram formalmente modificadas o Materiais de treinamento e workshops certificados pelo IFPUG ensinam que os múltiplos meios devem ser contados quanto forem requeridos DETs e/ou lógica de processamento únicos o Milhares de contadores foram treinados para contar múltiplos meios e a maioria provavelmente continuará " Irá encorajar a má utilização o As organizações continuarão a contar Múltiplos Meios para manter a consistência interna e para se conformar à interpretação da funcionalidade lógica do usuário o As organizações contarão Múltiplos Meios para que as contagens possam ser efetivamente utilizadas em estimativa e na medição da produtividade " Torna as contagens mais difíceis de validar, já que os processos identificados não mais se alinham com a visão do mundo real do usuário

Precisamos de um padrão consistente " As mudanças no padrão do IFPUG desde o CPM 3.4 reduziram as contagens em aproximadamente 25%. A mudança proposta para os meios múltiplos irá reduzir em mais 40% em alguns projetos.

Uma redução no tamanho do software irá afetar negativamente todas as métricas da sua organização coletadas ao longo dos anos, relacionadas a: o Produtividade o Qualidade o Pessoal o Custo o Prazo

" Precisamos de um padrão de PF que seja relevante e consistente com relação à sua proposta original e continuada

Dê uma olhada detalhada na proposta do CPC e determine seu impacto sobre a sua organização.

Requisitos Técnicos e Conformidade com a ISO

Os Múltiplos Meios não impactam a conformidade com a ISO " Os padrões ISO/IEC 14143 relativos à medição funcional do tamanho do software não mencionam ou abordam especificamente múltiplos meios. A ISO não fez mudanças ou introduziu qualquer padronização que requeira quaisquer mudanças no método do IFPUG. A escolha do meio não é um "Requisito Técnico" " No contexto da tecnologia da informação, o termo "meio" é utilizado para descrever movimentos de informação para dentro e para fora das aplicações - tela do vídeo, impressora, arquivo, e-mail, etc. O meio requisitado pelo Cliente/Usuário para uma entrada/saída representa requisitos de negócio distintos e está completamente dentro do domínio de conhecimento do Usuário.

A definição de Requisito Técnico da ISO/IEC 14143-1:1998 é: "Requisitos relativos à tecnologia e ambiente, para o desenvolvimento, manutenção, suporte e execução do software. NOTA - Exemplos de Requisitos Técnicos incluem linguagens de programação, ferramentas de teste, sistemas operacionais, tecnologia de banco de dados e tecnologias de interface com o usuário."

Segundo esta definição, "meio" não é um requisito técnico e não há nenhum lugar no conjunto de padrões ISO/IEC 14143 existente, ou nenhum lugar nos padrões de engenharia de software da ISO/IEC ou IEEE que corrobore o ponto de vista do CPC de que o meio não é um requisito funcional.

O Caminho para a Frente

Um SIM a esta moção permite que o IFPUG desenvolva um conjunto razoável de orientações sobre como e quando contar múltiplos meios, com base em informações dos filiados e práticas comuns..

É imprudente impor uma mudança potencialmente significativa no padrão sem as devidas pesquisas e análises. Qualquer mudança significativa deveria tornar o método melhor com relação ao papel pretendido para o mesmo na estimativa e medição da produtividade, e não mais confuso.

Esta moção recomenda que as práticas comuns sejam revisadas e direciona a melhor forma de padronizar as regras para múltiplos meios. É a nossa esperança que uma parte independente, trabalhando com os filiados, CPC, outros comitês do IFPUG e praticantes da indústria desenvolverá uma solução para o bem da comunidade de contagem de Pontos de Função.

Posição do CPC com relação à questão dos Múltiplos Meios

O Comitê de Práticas de Contagem (CPC) solicita que você vote não.

Vamos seguir em frente,

Manter a APF do IFPUG na liderança mundial

Há apenas um caminho

Vote NÃO (Paper 2)

Conforme o Presidente do IFPUG, Mauricio Aguiar, explicou em seu e-mail de 11 de outubro aos filiados ao IFPUG, a questão é: "como contar múltiplos meios em termos de pontos de função padrão do IFPUG. De uma forma simplificada, se você tem um relatório em uma tela e a capacidade de imprimir e enviar por e-mail o mesmo relatório, deve contar uma saída externa, ou três?"

O Presidente do IFPUG também escreve: "O CPC seguiu os procedimentos adequados, chegou à determinação de que os múltiplos meios não deveriam ser contados mais de uma vez e estavam prontos para o passo final do processo, que é a condução de um estudo de impacto."

O CPC vem estudando a questão dos Múltiplos Meios desde 1994. Tem havido diferenças de opinião entre Especialistas Certificados em Pontos de Função e até dentro do CPC. Esta inconsistência tem tido um impacto negativo sobre a credibilidade e confiabilidade da Análise de Pontos de Função do IFPUG (APF), já que os resultados podem ser consideravelmente diferentes. Como conseqüência, isto tem uma influência negativa sobre os dados de benchmarking e na utilização da APF do IFPUG como metodologia de obtenção do tamanho.

Um progresso-chave aconteceu em 2002, quando o método de APF do IFPUG foi reconhecido pela ISO como um método funcional de medição do tamanho. O padrão ISO de FSM diz que um método reconhecido pode medir somente requisitos funcionais e deve ignorar outros tipos de requisitos (i.e., requisitos técnicos e de qualidade).

Como parte da pesquisa relativa à questão de meios múltiplos, o CPC estudou as definições de requisitos do ISO e do IEEE. Esta pesquisa forneceu a orientação para a classificação dos requisitos como funcionais ou não funcionais. O CPC sentiu que esta orientação deveria ser compartilhada com os filiados do IFPUG e publicada no paper "Framework for Functional Sizing" (2003). Este paper está disponivel para download no site do IFPUG.

Utilizando esta orientação juntamente com informações de especialistas da ISO, o CPC chegou à conclusão unânime de que uma função entregue através de múltiplos meios deveria ser contada uma única vez. Esta conclusão foi baseada no entendimento de que o meio no qual a função é entregue satisfaz um requisito técnico e, dessa forma, não deveria ter seu tamanho medido com a utilização da APF. O CPC explicou sua decisão e forneceu orientações no paper "Practical Guidelines for Identifying Unique Elementary Processes".

Um elemento-chave é que esta decisão não foi baseada em um concurso de popularidade (i.e., o que a maioria faz, ou gostaria de fazer), mas sim em requisitos da ISO. Esta decisão será permanente. Por outro lado, um concurso de popularidade significaria que o que é contado depende do que estiver na moda à época, ao invés de depender de uma direção e visão consistentes. Isto resultaria em um método de pouco valor para qualquer um.

Quando o "draft paper" (rascunho do paper) foi publicado ao final de 2005, o CPC solicitou aos filiados do IFPUG que revisassem o paper e fornecessem feedback (Passo 4 no processo documentado de gerenciamento da mudança do CPC). Embora a revisão por parte dos filiados não pretendesse ser um voto, a maioria das respostas foi positiva. Ao pedir feedback o CPC estava procurando argumentos convincentes de que teria incorretamente classificado múltiplos meios como não funcional. Não apareceram tais argumentos, embora uma minoria discordasse da proposta do CPC. O feedback também indicou que maior ênfase e mais esclarecimentos eram necessários em algumas áreas. O CPC incluirá a decisão sobre múltiplos meios no novo CPM ISO que está sendo escrito, assim como levará em conta o feedback dos filiados no conteúdo reescrito incluído no novo CPM.

Alguns opositores da decisão do CPC dizem que, não contando múltiplos meios, a APF não pode ser utilizada como uma ferramenta de estimativa. Esta afirmação não é verdadeira. Em todo o mundo, muitas empresas e fornecedores de software vêm excluindo os múltiplos meios por muitos anos, e estão efetivamente utilizando a APF como entrada para seus processos de estimativa.

Durante mais de dez anos os filiados têm solicitado uma solução para a questão dos múltiplos meios. Com base em pesquisa, o CPC está convencido de que os múltiplos meios satisfazem requisitos não funcionais e, dessa forma, de acordo com a ISO não deveriam ser medidos com a utilização de APF. Daí segue que uma decisão oposta, de medir múltiplos meios, resultaria na perda do reconhecimento do método do IFPUG como um Método ISO FSM.

O próximo CPM deverá ser publicado em 2008, a fim de manter o reconhecimento da ISO. Esse CPM deve ser aderente aos requisitos da ISO em termos de estrutura e formato. Devido à importância do assunto e à credibilidade da APF do IFPUG, a questão dos múltiplos meios deve estar resolvida no novo CPM. Uma demora para seguir em frente com a decisão sobre múltiplos meios provavelmente resultará na perda do prazo ISO de 2008. O IFPUG perderia seu reconhecimento pela ISO.

Graças ao reconhecimento pela ISO a FPA do IFPUG foi adotada em todo o mundo pelos governos (tais como Brasil e Coréia) como uma métrica funcional de tamanho. Se a APF do IFPUG perder seu reconhecimento pela ISO, perderá sua posição de principal métrica funcional de tamanho no mundo. Outros métodos de medição de tamanho concorrentes e reconhecidos pela ISO tais como NESMA FPA, Mark II FPA ou COSMIC Full Function Points irão assumir.

Por favor apoie o seu CPC, a decisão sobre múltiplos meios, assim como o processo de gerenciamento de mudança existente, permitindo que o IFPUG siga em frente. Não se pode permitir que a questão dos múltiplos meios continue sem solução. Permitir tal situação irá continuar a impactar negativamente a APF do IFPUG. Se você como filiado ao IFPUG, quer que o método de APF do IFPUG continue a ser reconhecido pelo mundo como um padrão estável e aderente à ISO, o CPC pede a você que urgentemente vote NÃO.

Vamos seguir em frente, Manter a APF do IFPUG um padrão ISO:

Vote NÃO contra a moção

Comitê de Práticas de Contagem do IFPUG Adri Timp, Chefe

15.10.2006 - Mensagem do Presidente do IFPUG

Prezado Filiado ao IFPUG,
 
Uma das coisas que aprecio no envolvimento com uma organização como o IFPUG é a oportunidade de discutir e debater idéias novas e diferentes. Sinto que aprendo muito nesses diálogos, principalmente em contato com pessoas que possuem grande conhecimento e experiência, como é o caso de muitos colegas que participam do IFPUG.
 
É por este motivo que escrevo a vocês agora. Em um futuro próximo, o IFPUG estará enviando aos filiados, para consideração e voto, uma proposta de um filiado.  
 
O tópico é muito importante, sendo o seu voto e participação absolutamente críticos. Esta carta pretende fornecer algumas informações preliminares sobre a questão, assim como informá-lo a respeito do processo que o IFPUG utilizará para garantir que todos os filiados sejam ouvidos.
 
Ao longo dos últimos anos, várias questões surgiram a respeito da contagem de “multiple media” (“múltiplos meios”)em termos de pontos de função do IFPUG. De uma maneira simplificada, se você tiver um relatório apresentado em uma tela e, adicionalmente, a capacidade de imprimir e/ou enviar o mesmo relatório via e-mail, você contará uma saída externa, ou três?
 
Em um esforço para esclarecer esta questão, o Comitê de Práticas de Contagem (CPC) do IFPUG realizou um estudo a fim de chegar a uma decisão. O objetivo principal deste estudo foi tornar a contagem de pontos de função do IFPUG mais consistente em todo o mercado. O CPC seguiu os procedimentos adequados, chegou à conclusão de que “multiple media” não deveria ser contado mais de uma vez e estava pronto para o passo final do processo, o qual é a condução de um estudo de impacto.
 
A questão dos “multiple media” foi um tópico extremamente “quente” na Conferência ISMA realizada em San Diego neste último mês de setembro. O assunto foi amplamente discutido em uma das mesas nas sessões de discussão coletiva denominadas “Birds of a Feather” em 14 de setembro. A discussão culminou em uma proposta apresentada à Diretoria do IFPUG por um filiado durante a Reunião Anual da associação. A proposta foi paralisar o direcionamento atual do CPC quanto a “multiple media” e conduzir uma segunda pesquisa de práticas comuns junto aos filiados. Devido à falta de um quorum adequado (o quorum é definido como 50% dos filiados no estatuto do IFPUG) na Reunião Anual, a proposta não foi votada naquela ocasião. Devido à importância da questão, a Diretoria quis garantir que todos os filiados ao IFPUG tivessem a oportunidade de manifestar sua opinião e ouvir as idéias dos demais, de modo que decisões informadas pudessem ser tomadas de uma forma tão cooperativa quanto possível.
 
Explicarei, a seguir, o processo que utilizaremos para lidar com a proposta.
 
1.             A proposta e uma cédula para voto serão enviadas pelo correio até 25 de outubro. A votação ficará aberta durante 30 dias, podendo as respostas serem enviadas via e-mail, fax, ou correio. Também tornaremos disponível uma página na internet para votação eletrônica.
 
2.             Ao mesmo tempo, a Diretoria irá disponibilizar “position papers” descrevendo ambos os pontos de vista quanto à questão “multiple media”. Estas informações serão enviadas com a cédula contendo a proposta, estarão disponíveis em uma página específica do site do IFPUG, e serão incluídas na próxima edição da newsletter MetricViews (dezembro).
 
3.             Uma nova seção do IFPUG Bulletin Board, moderada, será criada e disponibilizada para discussão e compartilhamento de idéias a respeito desta questão.
 
4.             Após o período de 30 dias para votação, a Diretoria tabulará os resultados e os tornará disponíveis para os filiados, planejando os próximos passos a partir daí.
 
Permitam-me enfatizar, novamente, a importância de sua participação.  Se você tiver uma opinião, experiência,  ou informações que possam ajudar os demais, este é o momento de compartilhá-las. Torne o seu ponto de vista conhecido.
 
Aprecio a oportunidade de compartilhar a discussão e de trabalhar com vocês ao longo deste processo.
 
Atenciosamente,
Mauricio Aguiar
Presidente do IFPUG